Buscar

O QUE TORNA A ALIMENTAÇÃO NO JAPÃO MAIS SAUDÁVEL DO QUE NA AMÉRICA?


É intrigante como uma bebida de tamanho pequeno no McDonald's Americano é a bebida de tamanho grande no McDonald's no Japão!


Mas esta afirmação contém muita verdade!!


Não acontece apenas com o McDonald's, mas com outras cadeias de fast-food e de restaurantes também:

- A Starbucks tem um tamanho 'curto' especial no Japão, que é de apenas 240 ml


- A menor pizza da Domino's no Japão vem com um diâmetro de 23cm; enquanto a menor nos EUA é de 26cm


- Se você visitar um restaurante no Japão, as refeições são bem fracionadas para que você consuma tudo de uma só vez e fique satisfeito; enquanto nos Estados Unidos, você não consegue terminar as refeições pelas porções generosas servidas! Logo é costume pedir para embrulhar o restante para viagem.

Dessa forma, percebemos que o fast-food japonês comercializa os mesmos tamanhos só que em porções menores. Então, um tamanho pequeno para adultos no Japão é o tamanho da criança nos Estados Unidos; e o que é definido como 'médio' no Japão é o 'pequeno' na América.


Assim, o que torna uma dieta japonesa sustentável para o estilo de vida moderno não é que tenham que eliminar os fast-foods ou açúcares refinados, mas sim que as pessoas pratiquem a moderação!


Servindo o Japão desde 1971

Como sociedade, seus cidadãos não são pressionados a exercer extremo autocontrole ou restrições para uma alimentação saudável, mas psicologicamente, a educação nutricional japonesa é formada em torno dos valores de equilíbrio: uma alimentação saudável começa com a escolha do tamanho certo do prato (da louça)!


E para trazer esses conceitos de moderação para dentro de casa e remodelar a compreensão do tamanho adequado das refeições, também precisam escolher os tamanhos certos dos pratos (louças)!


As refeições japonesas tradicionais são modeladas a partir da ideia de ICHIJU-SANSAI, ou seja, 'uma sopa, três pratinhos', onde pequenos pratos são combinados para compor uma refeição inteira: uma porção única de arroz, sopa de missô, dois pequenos pratos de vegetais e uma porção única de proteína. Desta forma, os pratos pequenos e variados distribuem naturalmente os alimentos a serem consumidos e colaboram no controle das porções.


Claro que precisamos levar em consideração as necessidades individuais: um homem adulto terá uma necessidade nutricional diferente de uma criança pequena. Mas para atingir as porções ideais dos alimentos, é fundamental considerar algumas perguntas após a refeição:


- Eu me sinto empanturrado ou faminto?

- Estou com sede ou com fome?

- Como me sentiria depois de uma outra porção?


Ao ficarmos mais conscientes de como nos sentimos depois de terminar o que está em nosso prato, começamos a alcançar um equilíbrio em que não estamos comendo demais nem nos privando.


A alimentação saudável japonesa inclui princípios de variedade, muitas frutas, vegetais, grãos e proteínas devidamente preparados ... Mas a base disso está nessa 'ferramenta psicológica' que permite às pessoas levarem um estilo de vida sustentável e confortável. A educação alimentar japonesa não envolve apenas disciplina e regras; mas incentiva a incorporar alimentos que apreciamos com moderação. Ao escolher os tamanhos de prato corretos, acabamos nos esforçando a tomar melhores decisões sobre a saúde, mesmo sem ter nenhuma intenção! Essa é a cultura milenar japonesa! _/\_